Posts from the ‘Entrevistas’ Category

Entrevista d’a Bola a José Mourinho – 1ª parte (FC Porto)

31/12/2010 – A BOLA

Entrevista realizada pelo jornal “A Bola” ao técnico português José Mourinho.

«Ganhei muito em ter ido para o FC Porto e reconhecê-lo-ei para sempre!»


«A saída do FC Porto para o Chelsea fez com que a minha vida deixasse de ser perfeita.»


1ª Parte (FC Porto)

Sobre com quem falava de futebol no Porto, em comparação com o Real Madrid.

JM: Estava habituado a trabalhar em clubes onde as minhas relações eram directas.

AB: Com o presidente?

JM: No Porto, era eu com o presidente. Nem director desportivo tinhamos.

AB: Fala com quem no Real?

JM: Prefiro falar com o presidente..

AB: Se não falar com o presidente, não tem interlocutor?

JM: Ou tenho demasiados..

Ainda comparações com o Real Madrid.

JM: Quando ganhei a Champions no pelo FC Porto, pensava que tinha sido a tarefa hercúlea da minha vida. Depois ganho com o Inter e penso ainda mais, em função dos adversários que nos apareceram e da qualidade da equipa. Pensei: ok, bati no topo. A partir de agora vai ser tudo mais fácil.

AB: É mais difícil ganhar a Champions este ano com o Real Madrid do que foi ganhar com o FC Porto ou o Inter?

JM: Não quero ir tanto nessa direcção porque a qualidade dos jogadores é superior. Quando a qualidade dos jogadores continua a ser um aspecto importante na construção de uma equipa e no desenvolvimento de uma equipa de futebol, não posso dizer isso. Seria contraditório com a qualidade da minha equipa. Nunca tive um Cristiano Ronaldo nas minhas equipas anteriores, nunca tive um Xabi Alonso a fazer passes de 40 metros de olhos fechados.

JM: Em tudo que é estrutura à volta de uma equipa e as estruturas que contribuem para que uma equipa ganhe, é uma missão mais difícil.

AB: Até pode ser Mourinho a ajudar o clube a mudar?

JM: Espero que sim. Foi para isso que vim.

AB: O FC Porto tem uma estrutura que protege a equipa. É uma estrutura mais forte do que a que encontrou no Real Madrid?

JM: Encontrei o FC Porto que dominou em Portugal nos últimos 20 anos. com uma estrutura mental, emotiva e princípios básicos. O que aconteceu quando eu lá estive foi uma modernização dessas estruturas, uma modernização da estrutura mental que dominava todas as outras.

AB: Foi iniciada por si?

JM: Acho que sim. Com gente de grande competência, inteligência e dedicação.

Os melhores jogadores do campeonato português segundo José Mourinho

AB: Esta época tem-lhe despertado o olho para algum jogador no campeonato português?

JM: Quando foi a eliminatória do SC Braga com o Sevilha gostei muito do Sílvio. Nem o conhecia, nem sabia que era português, quantos anos tinha. É o tipo de lateral de que gosto: sabe defender, fechar os espaços interiores, tem qualidade, técnica, virtuosismo, gosta de atacar. Gostei muito.

JM: Depois os outros são jogadores que conhecemos. Falcao é óptimo atacante e Hulk também. São grandes em Portugal, mas se forem para o estrangeiro também têm condições para vencer.

«No FC Porto, o normal é ganhar, o anormal é não ganhar»


«É um clube (o FC Porto) que, no futebol português, está feito para ganhar.»


Sobre o campeonato português

AB: Sente que no final de uma primeira época com bons resultados há o perigo de a segunda não ser tão boa?

JM: As exigências e os desafios são diferentes. Lembro-me que na minha segunda época no FC Porto decidi mudar o sistema de jogo.

AB: Está surpreendido com o desempenho de André Villas-Boas?

JM: Não.

AB: Porquê?

JM: Porque no FC Porto, o normal é ganhar, o anormar é não ganhar.

AB: Qual acha que é a contribuição dele para o actual desempenho e resultado da equipa?

JM: É a contribuição de qualquer treinador do FC Porto, obviamente. O treinador que ganha tem a responsabilidade na vitória, o treinador que perde tem responsabilidade na derrota. E nos últimos anos, no FC Porto, os treinadores que têm feito a diferença não são aqueles que ganham os campeonatos, são aqueles que não ganham os campeonatos.

AB: Mário Wilson dizia que quem treina o Benfica arrisca-se a ser campeão. É o mesmo com o FC Porto?

JM: Também tem de ter mérito. Mas é um clube que, no futebol português, está feito para ganhar.

(em actualização)

Anúncios

Mourinho elege FC Porto como uma das melhores equipas de sempre

Entrevista a José Mourinho realizada em Maio de 2010

Jornal AS

Guillem Balagué y Manu Saiz | 28-05-2010 – 07:00

¿Quién es su entrenador favorito?

Van Gaal.

¿Y el mejor equipo que ha habido en la historia?

Para mí hay varios. Están la selección de Brasil que disputó el Mundial de España, la Holanda de 1974, el Ajax que tuvo a Cruyff como jugador, el Barcelona del año pasado y el Oporto del 2004.

¿Quién ha sido el mejor futbolista de la historia?

Mi padre dice que Alfredo Di Stéfano, pero yo sólo le he visto en vídeo. De mi generación no me puedo quedar sólo con uno. Estarían Pelé, Maradona, Beckenbauer, el Ronaldo que jugó en el Barcelona, Zidane, Eusebio…

¿Cuál es el jugador que más le ha sorprendido?

Son dos: Zanetti y Figo. Para mí ha sido un orgullo entrenar a futbolistas como ellos en el tramo final de sus carreras. Era espectacular su profesionalidad y su forma de trabajar. Son un ejemplo para todos.

¿Cuál ha sido hasta ahora el mejor momento de su carrera?

El momento más feliz fue la final de la Copa de la UEFA que gané en Sevilla como entrenador del Oporto. Ningún otro título me hizo tanta ilusión como ese. Fue la mayor ilusión de mi carrera.

¿La persona que más le ha marcado en su carrera?

No lo digo. Ésta prefiero no responderla.

¿A qué jugador le gustaría entrenar algún día?

Lo voy a decir porque es imposible. Me gustaría entrenar a Rooney, tanto por cómo es como futbolista como por su mentalidad. Pero mi amigo Ferguson puede estar tranquilo porque es imposible.

¿Un sueño cumplido?

Todos.

¿Un sueño incumplido?

Ganar el gran slam (Liga española, italiana e inglesa), la tercera Champions y la Copa del Mundo como seleccionador de Portugal a los 70 años.

http://movil.as.com/noticia/futbol/estrella-rooney-gustaria-entrenarle-algun/dasftb/20100528dasdaiftb_18/Tes?seccion=futbol

Entrevista a Luís Filipe Vieira – Trio de Ataque

Aqui fica o link para entrevista dada em 16/06/2009 no programa da RTP, TRIO DE ATAQUE, ao presidente do SL Benfica Luís Filipe Vieira. Participação dos comentadores dos respectivos clubes, Rui Moreira (FCP). Rui Oliveira e Costa (SCP) e António Pedro Vasconcelos (SLB).

Entrevista a LFV – Trio de Ataque

“Informe Robinson” com José Mourinho (Canal +)

Reportagem do programa do país vizinho “Informe Robinson” do Canal +.

1ª PARTE

2ª PARTE

Alguns destaques:

Nunca foi tradutor”, garante Manuel Fernandes, actual treinador do Setúbal, que teve Mourinho como adjunto quando este tinha 26 anos. “Dolor de corno”, acrescenta Félix Mourinho. Treinadores com passado e presente em Setúbal, concordam com as qualidades sempre demonstradas pelo português.

Quando Louis Van Gaal chegou a Barcelona, para substituir Bobby Robson, despediu todos os adjuntos menos um: “José fica porque não me diz o que quero ouvir, diz-me o que pensa”. “Para o contrariar e ficar, tinha de ser bom”, conta Luís Henrique, ex-jogador do Real Madrid e do “Barça”, ao tempo da chegada de Bobby Robson, que foi do Porto para a cidade Condal, levando Mourinho na equipa técnica que já o acompanhava desde a passagem pelo Sporting.

O tipo porreiro, que defende os jogadores nas conferências de Imprensa, antes e depois dos jogos, é diferente na intimidade do vestiário. “No balneário sou muito directo. Não tenho problemas em dizer: a culpa da derrota foi tua”, revelou Mourinho. “Lá fora, perco só eu. Lá dentro, perdemos todos”, acrescentou.

O documentário conta ainda alguns episódios pouco conhecidos da história de Mourinho. Desde a forma como provocou os líderes do Chelsea, Terry e Lampard, para resolver de vez o atrito entre ambos, à maneira como conseguiu iludir um castigo para ir dar a táctica no intervalo num jogo da “Champions”. Entrar foi fácil, todos os olhos estavam no relvado, sair requereu estratagemas de filme de espiões: deixou o balneário entre toalhas, escondido num carrinho de roupa suja.

Contou o que disse a Pep Guardiola, quando Tiago Motta foi expulso na meia-final com o Barcelona, em Camp Nou. “Pela festa que vi no banco do Barcelona, parecia que o jogo estava ganho, tinha acabado. Disse a Pep, pensas que é fácil, mas ainda não ganhaste. Não terminou”, revelou Mourinho.

in JN

Apresentação de André Villas-Boas (FC Porto)

Apresentação do novo treinador do Futebol Clube do Porto, André Villas-Boas (AVB) no Estádio do Dragão.

Junho/2010

Entrevista A Jorge Jesus (UEFA)

Entrevista de Jorge Jesus ao site da UEFA.

Setembro/2010

Entrevista a José Mourinho (Público) – 2ª parte

“Parece-me lógico que os adeptos do FC Porto tenham amor por mim”

José Mourinho conquistou quase tudo o que tinha para conquistar ao serviço do FC Porto. Mas a sua saída do clube não aconteceu da melhor forma. O técnico comenta a relação que existe si e os adeptos do FC Porto.

Como estão as suas relações com Pinto da Costa? Ainda hoje, os adeptos do FC Porto parecem manter consigo uma relação de amor e ódio…

Diz-me que os adeptos do FCPorto têm amor por mim. Parece-me lógico, pois fui o treinador que chegou com a equipa em crise e que, em dois anos e meio, ganhou a Taça Uefa, a Champions, dois campeonatos, uma Taça de Portugal e uma Supertaça. Parece-me, portanto, normal que gostem de mim. Quanto ao ódio… Só se queriam que eu ganhasse também a Taça Intercontinental. Mas isso era fácil, bastava ganhar a uns colombianos e o FC Porto fê-lo sem mim. Por isso, não vejo razão para me odiarem. Quanto ao presidente… um grande presidente!

“Se algum dia for seleccionador direi não aos naturalizados”

José Mourinho já disse mais do que uma vez que, na parte final da sua carreira de treinador, gostaria de ser seleccionador de Portugal. Enquanto esse tempo não chega, o técnico vai estando atento ao percurso da equipa nacional.

Como viu a carreira de Portugal no apuramento para o Mundial 2010? Chegou a desacreditar?

Portugal qualificou-se e ponto final! O objectivo foi conseguido.Tenho de dar os parabéns a todos quantos contribuíram para ele ser alcançado. Foi menos fácil do que se esperava? Sim, é certo, foi um sufoco inesperado, mas qualificou-se.

Concorda com a utilização de jogadores naturalizados?

Não sou ninguém para concordar ou discordar, porque quem está nos centros de decisão é que tem legitimidade total para decidir. Mas se algum dia for seleccionador, direi não aos naturalizados.

O que Portugal pode ambicionar na África do Sul?

Pode ambicionar tudo, porque tem potencial. Mas as dificuldades estão ali e não chegarmos à fase terminal da prova não pode ser visto como um fracasso. Há selecções com maior potencial. Deixemos o seleccionador e os jogadores trabalharem sem pressões e eles farão o melhor possível.

Quem vai ganhar e quem pode ser surpresa no Mundial?

Surpresa? Não sei… Uma equipa africana chegar aos “quartos”, a uma meia-final? Quem vai ganhar? Os mesmos de sempre que ganham ou cheiram os títulos… Mais a Espanha de Xavi e Iniesta.

“O Inter joga mal? Em Inglaterra há quem jogue bem e não ganhe nadinha”

Nnão gosta ouvir e ler que os espectáculos futebolísticos proporcionados pelo Inter de Milão deixam algo a desejar. Contrapõe com as vitórias e os golos obtidos pela sua equipa e dá o exemplo de Inglaterra, onde há quem jogue bem e não ganhe “nadinha”. Sobre Quaresma, garante que ele acabará por se impor no Inter de Milão.

Não teme vir a ficar conhecido como um bom treinador que ganha mas que não dá espectáculo?

O Inter, como todas as minhas equipas, ganha mais vezes que os outros, marca mais golos, sofre menos golos, ganha mais títulos, por vezes até goleia e constrói resultados incríveis como, por exemplo, este ano, as vitórias por quatro e cinco a zero sobre o AC Milan e o Genova. Joga mal? Olhe para Inglaterra, onde há equipas que jogam muito bem e não ganham nadinha há já uns anitos.

Porque não se conseguiu impôr Quaresma? Vai sair em Dezembro?

Quaresma não se impôs do mesmo modo que não se impuseram Diego, Filipe Melo, Huntelaar, Julio Baptista e tantos outros. O futebol italiano não é fácil, principalmente para jogadores ofensivos. É necessário ter forte mentalidade para aguentar a adaptação e o tempo que esta exige. Mas o Quaresma vai conseguir, estou seguro disso.

Concorda que o Inter começa a ser demasido dependente de poder contar ou não com Sneijder?

Dependente de Sjneider? Sem dúvida! É um jogador com um perfil único neste plantel. Sem ele, somos obrigatoriamente diferentes. É curioso verificar que um jogador super-nuclear para nós tenha sido um dispensado do Real Madrid…

Como tem observado o campeonato português?

Vejo pouco, apenas uns joguinhos, um ou outro resumo, vejo os resultados…

Há jogadores na Liga portuguesa que podem chegar aos clubes europeus de top? Quais? Quais gostaria de contratar?

Portugal produz sempre bons jogadores e consegue sempre chegar a mercados acessíveis e a jogadores que, depois, se tornam muito apetecíveis para os campeonatos onde há dinheiro. Portugal será sempre fonte de interesse para nós. Mas não falo em nomes.