Agressão de Jorge Jesus a Luís Alberto (Nacional)

Agressão do treinador do SL Benfica, Jorge Jesus, ao jogador do Nacional da Madeira, Luís Alberto, no final do jogo de ontem que terminou 4 – 2.

22/01/2011

Futebol Nacional – 1992/1993

Uma série de vídeos que resumem a época de 1992/1993 narrados por Gabriel Alves.

Introdução

FC PORTO

Uma equipa onde brilhava Vitor Baía, Timofte, João Pinto, Domingos e Kostadinov. Comandado pelo técnico brasileiro Carlos Alberto Silva. Não perdeu nenhum jogo com Sporting e Benfica. Foi a época da célebre derrota em casa com o FC Famalicão, num jogo onde fez mais de 40 remates! O FC Porto sagrou-se campeão nacional.

SPORTING + BENFICA

Um Sporting comandado por Bobby Robson, tendo como adjunto José Mourinho. Teve o melhor marcador do campeonato: Jorge Cadete. Cherbakov marcou o considerado golo do ano, após fantástico remate de primeira fora da área. Balakov era outra das figuras da equipa a par de Yordanov.

No Benfica tivemos a contratação de Paulo Futre, que no entanto esteve longe de brilhar como tinha feito anos antes no FC Porto. Rui Águas era uma das referências no eixo de ataque benfiquista.  Tal como João Vieira Pinto, que no ano seguinte faria uma época em grande nível. Toni assumiu a liderança da equipa à 10ª jornada.

BOAVISTA + MARÍTIMO

O Boavista acabou a época em 4º lugar orientado por Manuel José. Tinha em Artur uma das grandes figuras da equipa. Jogador que mais tarde iria ser transferido para o FC Porto. Ricky continuava a ser um dos nomes sonantes do conjunto axedrezado.

O Marítimo ficou em 5º lugar, a sua melhor classificação de sempre. Paulo Autuori era o treinador dos madeirenses. Um equipa de ataque e que dava espectáculo. Ademir era uma das figuras, tal como Edmilson e Jorge Andrade – melhor marcador da equipa.

FAMALICÃO – SALGUEIROS + ESTORIL + BEIRA-MAR

O Famalicão foi a única a vencer nas Antas com um golo de Vieira. Venceu em casa o Benfica com um golo do defesa central Freitas. O melhor marcador da equipa foi Mitharsky. O treinador era José Romão.

Entrevista – José Mourinho (tvi24 – 2010)

Entrevista realizada a José Mourinho pela TVI24 no inicio da época 2010/11.

Algumas das frases marcantes:

FC Porto

«É um clube marcante na minha carreira. É o clube fulcral da minha carreira.»

«Aqueles 2 anos foram inesquecíveis!»

«Foi mais marcante ganhar a champions pelo Porto.»

«Foi a história mais brilhante do Porto.»

Chelsea

«Era o clube odiado, era o clube a abater, era aquele que não podia ganhar.»

«Inglaterra é o país por excelência do futebol. É onde quero passar muito tempo.»

Inter

«Não eramos os melhores»

«Era um grupo frustrado»

«Eram jogadores fantásticos que nunca tinham  jogado umas meias-finais da champions.»

«O Barcelona é a melhor equipa do mundo!»

«O Inter (em Barcelona) não meteu o  autocarro, meteu airbus.»

Real Madrid

«Acho que o Real escolheu o perfil de treinador correcto.»

«Não preciso de provar nada.»

«O Barcelona está no mais alto nível  de sempre.»

Futebol português

«Trabalho espectacular no Braga. É uma enorme  satisfação ver o sucesso que teve (o Domingos). Trabalho fantástico.»

«O Porto não é campeão (…) para gente ganhadora,  para gente que gosta de ganhar é um cenário dramático. O Porto vai seguramente querer ganhar o campeonato.»

«Que corra tudo bem. Que tenha muita sorte!» (sobre AVB)

Selecção Nacional

«Portugal ser campeão do mundo, nunca o disse com grande convicção mas pensei ser possível.»
«A eliminação com a Espanha encarei-a com naturalidade, pois Espanha era a melhor equipa.»

«A melhor equipa portuguesa dos últimos tempos (a de 2004) era um bloco.»

(a tua equipa?..)

Diversos

«Não era benfiquista, nem sportinguista, nem portista» (sobre o seu clube)

«As champions marcaram-no profundamente. Gosta do Porto obviamente.» (sobre o filho)

«Nós escrevemos a letra da célebre música “os filhos do Dragão”. Escrevi eu, o Dr. Puga, Antero Henrique e o Rui Faria. Fomos nós! Demos continuidade a esta ambição de fazer o Porto campeão.» (sobre a música os “filhos do dragão”.)

Jorge Gonçalves assume corromper árbitros

O antigo presidente do Sporting Clube de Portugal, assumiu em declarações à BOLA ter corrompido árbitros durante o período em que liderou os leões.

«PAGUEI A ÁRBITROS PARA FAVORECEREM O SPORTING COMO PAGARAM OS DIRIGENTES DE QUASE TODOS OS CLUBES E SITUAÇÕES HOUVE EM QUE O ADVERSÁRIO PAGOU MAIS DO QUE EU».

in A bola magazine, n.º128/Janeiro de 1998

Selecção Nacional – treinadores e convocados em fases finais

Relação entre os treinadores e os jogadores dos 3 GRANDES convocados para Fases Finais de Europeus e Mundiais em que a Selecção Nacional participou.

MUNDIAL 1966

Treinador: Otto Glória

Sporting – 8 jogadores

Benfica – 7 jogadores

Porto – 3 jogadores

EURO 1984

Treinador: Fernando Cabrita

Porto – 9 jogadores

Benfica – 9 jogadores

Sporting – 1 jogador

MUNDIAL 1986

Treinador:

Porto – 6 jogadores

Benfica – 6 jogadores

Sporting – 4 jogadores

EUROPEU 1996

Treinador: António Oliveira

Porto – 5 jogadores

Sporting – 3 jogadores

Benfica – 3 jogadores

EUROPEU 2000

Treinador: Humberto Coelho

Porto – 4 jogadores

Sporting – 3 jogadores

Benfica – 2 jogadores

MUNDIAL 2002

Treinador: António Oliveira

Sporting – 7 jogadores

Porto – 3 jogadores

Benfica – 1 jogador

EUROPEU 2004

Treinador: Scolari

Porto – 6 jogadores

Benfica – 6 jogadores

Sporting – 3 jogadores

MUNDIAL 2006

Treinador: Scolari

Benfica – 4 jogadores

Sporting – 2 jogadores

Porto – 1 jogador

EUROPEU 2008

Treinador: Scolari

Porto – 5 jogadores

Sporting – 3 jogadores

Benfica – 2 jogadores

MUNDIAL 2010

Treinador Carlos Queiroz

Porto – 4 jogadores

Sporting – 3 jogadores

Benfica – 2 jogadores

Entrevista d’a Bola a José Mourinho – 1ª parte (FC Porto)

31/12/2010 – A BOLA

Entrevista realizada pelo jornal “A Bola” ao técnico português José Mourinho.

«Ganhei muito em ter ido para o FC Porto e reconhecê-lo-ei para sempre!»


«A saída do FC Porto para o Chelsea fez com que a minha vida deixasse de ser perfeita.»


1ª Parte (FC Porto)

Sobre com quem falava de futebol no Porto, em comparação com o Real Madrid.

JM: Estava habituado a trabalhar em clubes onde as minhas relações eram directas.

AB: Com o presidente?

JM: No Porto, era eu com o presidente. Nem director desportivo tinhamos.

AB: Fala com quem no Real?

JM: Prefiro falar com o presidente..

AB: Se não falar com o presidente, não tem interlocutor?

JM: Ou tenho demasiados..

Ainda comparações com o Real Madrid.

JM: Quando ganhei a Champions no pelo FC Porto, pensava que tinha sido a tarefa hercúlea da minha vida. Depois ganho com o Inter e penso ainda mais, em função dos adversários que nos apareceram e da qualidade da equipa. Pensei: ok, bati no topo. A partir de agora vai ser tudo mais fácil.

AB: É mais difícil ganhar a Champions este ano com o Real Madrid do que foi ganhar com o FC Porto ou o Inter?

JM: Não quero ir tanto nessa direcção porque a qualidade dos jogadores é superior. Quando a qualidade dos jogadores continua a ser um aspecto importante na construção de uma equipa e no desenvolvimento de uma equipa de futebol, não posso dizer isso. Seria contraditório com a qualidade da minha equipa. Nunca tive um Cristiano Ronaldo nas minhas equipas anteriores, nunca tive um Xabi Alonso a fazer passes de 40 metros de olhos fechados.

JM: Em tudo que é estrutura à volta de uma equipa e as estruturas que contribuem para que uma equipa ganhe, é uma missão mais difícil.

AB: Até pode ser Mourinho a ajudar o clube a mudar?

JM: Espero que sim. Foi para isso que vim.

AB: O FC Porto tem uma estrutura que protege a equipa. É uma estrutura mais forte do que a que encontrou no Real Madrid?

JM: Encontrei o FC Porto que dominou em Portugal nos últimos 20 anos. com uma estrutura mental, emotiva e princípios básicos. O que aconteceu quando eu lá estive foi uma modernização dessas estruturas, uma modernização da estrutura mental que dominava todas as outras.

AB: Foi iniciada por si?

JM: Acho que sim. Com gente de grande competência, inteligência e dedicação.

Os melhores jogadores do campeonato português segundo José Mourinho

AB: Esta época tem-lhe despertado o olho para algum jogador no campeonato português?

JM: Quando foi a eliminatória do SC Braga com o Sevilha gostei muito do Sílvio. Nem o conhecia, nem sabia que era português, quantos anos tinha. É o tipo de lateral de que gosto: sabe defender, fechar os espaços interiores, tem qualidade, técnica, virtuosismo, gosta de atacar. Gostei muito.

JM: Depois os outros são jogadores que conhecemos. Falcao é óptimo atacante e Hulk também. São grandes em Portugal, mas se forem para o estrangeiro também têm condições para vencer.

«No FC Porto, o normal é ganhar, o anormal é não ganhar»


«É um clube (o FC Porto) que, no futebol português, está feito para ganhar.»


Sobre o campeonato português

AB: Sente que no final de uma primeira época com bons resultados há o perigo de a segunda não ser tão boa?

JM: As exigências e os desafios são diferentes. Lembro-me que na minha segunda época no FC Porto decidi mudar o sistema de jogo.

AB: Está surpreendido com o desempenho de André Villas-Boas?

JM: Não.

AB: Porquê?

JM: Porque no FC Porto, o normal é ganhar, o anormar é não ganhar.

AB: Qual acha que é a contribuição dele para o actual desempenho e resultado da equipa?

JM: É a contribuição de qualquer treinador do FC Porto, obviamente. O treinador que ganha tem a responsabilidade na vitória, o treinador que perde tem responsabilidade na derrota. E nos últimos anos, no FC Porto, os treinadores que têm feito a diferença não são aqueles que ganham os campeonatos, são aqueles que não ganham os campeonatos.

AB: Mário Wilson dizia que quem treina o Benfica arrisca-se a ser campeão. É o mesmo com o FC Porto?

JM: Também tem de ter mérito. Mas é um clube que, no futebol português, está feito para ganhar.

(em actualização)

Mourinho elege FC Porto como uma das melhores equipas de sempre

Entrevista a José Mourinho realizada em Maio de 2010

Jornal AS

Guillem Balagué y Manu Saiz | 28-05-2010 – 07:00

¿Quién es su entrenador favorito?

Van Gaal.

¿Y el mejor equipo que ha habido en la historia?

Para mí hay varios. Están la selección de Brasil que disputó el Mundial de España, la Holanda de 1974, el Ajax que tuvo a Cruyff como jugador, el Barcelona del año pasado y el Oporto del 2004.

¿Quién ha sido el mejor futbolista de la historia?

Mi padre dice que Alfredo Di Stéfano, pero yo sólo le he visto en vídeo. De mi generación no me puedo quedar sólo con uno. Estarían Pelé, Maradona, Beckenbauer, el Ronaldo que jugó en el Barcelona, Zidane, Eusebio…

¿Cuál es el jugador que más le ha sorprendido?

Son dos: Zanetti y Figo. Para mí ha sido un orgullo entrenar a futbolistas como ellos en el tramo final de sus carreras. Era espectacular su profesionalidad y su forma de trabajar. Son un ejemplo para todos.

¿Cuál ha sido hasta ahora el mejor momento de su carrera?

El momento más feliz fue la final de la Copa de la UEFA que gané en Sevilla como entrenador del Oporto. Ningún otro título me hizo tanta ilusión como ese. Fue la mayor ilusión de mi carrera.

¿La persona que más le ha marcado en su carrera?

No lo digo. Ésta prefiero no responderla.

¿A qué jugador le gustaría entrenar algún día?

Lo voy a decir porque es imposible. Me gustaría entrenar a Rooney, tanto por cómo es como futbolista como por su mentalidad. Pero mi amigo Ferguson puede estar tranquilo porque es imposible.

¿Un sueño cumplido?

Todos.

¿Un sueño incumplido?

Ganar el gran slam (Liga española, italiana e inglesa), la tercera Champions y la Copa del Mundo como seleccionador de Portugal a los 70 años.

http://movil.as.com/noticia/futbol/estrella-rooney-gustaria-entrenarle-algun/dasftb/20100528dasdaiftb_18/Tes?seccion=futbol