Posts tagged ‘special one’

Mourinho: “Porto é demasiado forte para a Liga Europa”

Mourinho diz que F. C. Porto “é demasiado forte para a Liga Europa”

2011-04-14

José Mourinho considera que “o F. C. Porto é demasiado forte” para a Liga Europa e manifesta-se contra a passagem de equipas eliminadas na “Champions” para a antiga Taça UEFA.

José Mourinho está também atento à carreira do Benfica e do Braga na Liga Europa, que esta noite têm a possibilidade de fazer história, apurando-se para as meias-finais da competição.

“Espero que sigam as três em frente”, disse José Mourinho, quarta-feira à noite, após a vitória, 1-0, em Londres, que apurou o Real Madrid para a meia-final da Liga dos Campeões, na qual vai defrontar o Barcelona.

José Mourinho considerou que “o F. C. Porto é uma equipa de nível de Champions, demasiado forte para a Liga Europa”, e mostrou-se contra a passagem para esta prova de conjuntos eliminados na Liga dos Campeões, como é o caso de Benfica e Braga.

“Uma equipa não devia jogar duas competições europeias na mesma época. Mas o Braga, com uma carreira espectacular, que na Champions também esteve espectacular, continua ao mesmo nível, disse Mourinho.

O Benfica “foi eliminado da Champions num grupo onde não o devia ter sido, mas agora também está bem”, argumento José Mourinho.

Cristiano Ronaldo, que marcou o golo da vitória do Real Madrid em Londres, frente ao Tottenham, desejou a passagem de Benfica, Braga e F. C. Porto às meias-finais da Liga Europa.

Ronaldo diz que segue o futebol português, “em especial o Sporting”, equipa pela qual tem “mais carinho” e considerou que “o F. C. Porto foi um justo campeão”.

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Desporto/Interior.aspx?content_id=1830384

Anúncios

“vamos deixar-te sem o titulo” (“vamos a dejarte sin título”) – Sevilla & Mourinho

Vídeo realizado pelos jogadores do Sevilha pensando na meia-final da Taça do Rei com a equipa do Real Madrid de José Mourinho.

Entrevista – José Mourinho (tvi24 – 2010)

Entrevista realizada a José Mourinho pela TVI24 no inicio da época 2010/11.

Algumas das frases marcantes:

FC Porto

«É um clube marcante na minha carreira. É o clube fulcral da minha carreira.»

«Aqueles 2 anos foram inesquecíveis!»

«Foi mais marcante ganhar a champions pelo Porto.»

«Foi a história mais brilhante do Porto.»

Chelsea

«Era o clube odiado, era o clube a abater, era aquele que não podia ganhar.»

«Inglaterra é o país por excelência do futebol. É onde quero passar muito tempo.»

Inter

«Não eramos os melhores»

«Era um grupo frustrado»

«Eram jogadores fantásticos que nunca tinham  jogado umas meias-finais da champions.»

«O Barcelona é a melhor equipa do mundo!»

«O Inter (em Barcelona) não meteu o  autocarro, meteu airbus.»

Real Madrid

«Acho que o Real escolheu o perfil de treinador correcto.»

«Não preciso de provar nada.»

«O Barcelona está no mais alto nível  de sempre.»

Futebol português

«Trabalho espectacular no Braga. É uma enorme  satisfação ver o sucesso que teve (o Domingos). Trabalho fantástico.»

«O Porto não é campeão (…) para gente ganhadora,  para gente que gosta de ganhar é um cenário dramático. O Porto vai seguramente querer ganhar o campeonato.»

«Que corra tudo bem. Que tenha muita sorte!» (sobre AVB)

Selecção Nacional

«Portugal ser campeão do mundo, nunca o disse com grande convicção mas pensei ser possível.»
«A eliminação com a Espanha encarei-a com naturalidade, pois Espanha era a melhor equipa.»

«A melhor equipa portuguesa dos últimos tempos (a de 2004) era um bloco.»

(a tua equipa?..)

Diversos

«Não era benfiquista, nem sportinguista, nem portista» (sobre o seu clube)

«As champions marcaram-no profundamente. Gosta do Porto obviamente.» (sobre o filho)

«Nós escrevemos a letra da célebre música “os filhos do Dragão”. Escrevi eu, o Dr. Puga, Antero Henrique e o Rui Faria. Fomos nós! Demos continuidade a esta ambição de fazer o Porto campeão.» (sobre a música os “filhos do dragão”.)

Entrevista d’a Bola a José Mourinho – 1ª parte (FC Porto)

31/12/2010 – A BOLA

Entrevista realizada pelo jornal “A Bola” ao técnico português José Mourinho.

«Ganhei muito em ter ido para o FC Porto e reconhecê-lo-ei para sempre!»


«A saída do FC Porto para o Chelsea fez com que a minha vida deixasse de ser perfeita.»


1ª Parte (FC Porto)

Sobre com quem falava de futebol no Porto, em comparação com o Real Madrid.

JM: Estava habituado a trabalhar em clubes onde as minhas relações eram directas.

AB: Com o presidente?

JM: No Porto, era eu com o presidente. Nem director desportivo tinhamos.

AB: Fala com quem no Real?

JM: Prefiro falar com o presidente..

AB: Se não falar com o presidente, não tem interlocutor?

JM: Ou tenho demasiados..

Ainda comparações com o Real Madrid.

JM: Quando ganhei a Champions no pelo FC Porto, pensava que tinha sido a tarefa hercúlea da minha vida. Depois ganho com o Inter e penso ainda mais, em função dos adversários que nos apareceram e da qualidade da equipa. Pensei: ok, bati no topo. A partir de agora vai ser tudo mais fácil.

AB: É mais difícil ganhar a Champions este ano com o Real Madrid do que foi ganhar com o FC Porto ou o Inter?

JM: Não quero ir tanto nessa direcção porque a qualidade dos jogadores é superior. Quando a qualidade dos jogadores continua a ser um aspecto importante na construção de uma equipa e no desenvolvimento de uma equipa de futebol, não posso dizer isso. Seria contraditório com a qualidade da minha equipa. Nunca tive um Cristiano Ronaldo nas minhas equipas anteriores, nunca tive um Xabi Alonso a fazer passes de 40 metros de olhos fechados.

JM: Em tudo que é estrutura à volta de uma equipa e as estruturas que contribuem para que uma equipa ganhe, é uma missão mais difícil.

AB: Até pode ser Mourinho a ajudar o clube a mudar?

JM: Espero que sim. Foi para isso que vim.

AB: O FC Porto tem uma estrutura que protege a equipa. É uma estrutura mais forte do que a que encontrou no Real Madrid?

JM: Encontrei o FC Porto que dominou em Portugal nos últimos 20 anos. com uma estrutura mental, emotiva e princípios básicos. O que aconteceu quando eu lá estive foi uma modernização dessas estruturas, uma modernização da estrutura mental que dominava todas as outras.

AB: Foi iniciada por si?

JM: Acho que sim. Com gente de grande competência, inteligência e dedicação.

Os melhores jogadores do campeonato português segundo José Mourinho

AB: Esta época tem-lhe despertado o olho para algum jogador no campeonato português?

JM: Quando foi a eliminatória do SC Braga com o Sevilha gostei muito do Sílvio. Nem o conhecia, nem sabia que era português, quantos anos tinha. É o tipo de lateral de que gosto: sabe defender, fechar os espaços interiores, tem qualidade, técnica, virtuosismo, gosta de atacar. Gostei muito.

JM: Depois os outros são jogadores que conhecemos. Falcao é óptimo atacante e Hulk também. São grandes em Portugal, mas se forem para o estrangeiro também têm condições para vencer.

«No FC Porto, o normal é ganhar, o anormal é não ganhar»


«É um clube (o FC Porto) que, no futebol português, está feito para ganhar.»


Sobre o campeonato português

AB: Sente que no final de uma primeira época com bons resultados há o perigo de a segunda não ser tão boa?

JM: As exigências e os desafios são diferentes. Lembro-me que na minha segunda época no FC Porto decidi mudar o sistema de jogo.

AB: Está surpreendido com o desempenho de André Villas-Boas?

JM: Não.

AB: Porquê?

JM: Porque no FC Porto, o normal é ganhar, o anormar é não ganhar.

AB: Qual acha que é a contribuição dele para o actual desempenho e resultado da equipa?

JM: É a contribuição de qualquer treinador do FC Porto, obviamente. O treinador que ganha tem a responsabilidade na vitória, o treinador que perde tem responsabilidade na derrota. E nos últimos anos, no FC Porto, os treinadores que têm feito a diferença não são aqueles que ganham os campeonatos, são aqueles que não ganham os campeonatos.

AB: Mário Wilson dizia que quem treina o Benfica arrisca-se a ser campeão. É o mesmo com o FC Porto?

JM: Também tem de ter mérito. Mas é um clube que, no futebol português, está feito para ganhar.

(em actualização)

Mourinho elege FC Porto como uma das melhores equipas de sempre

Entrevista a José Mourinho realizada em Maio de 2010

Jornal AS

Guillem Balagué y Manu Saiz | 28-05-2010 – 07:00

¿Quién es su entrenador favorito?

Van Gaal.

¿Y el mejor equipo que ha habido en la historia?

Para mí hay varios. Están la selección de Brasil que disputó el Mundial de España, la Holanda de 1974, el Ajax que tuvo a Cruyff como jugador, el Barcelona del año pasado y el Oporto del 2004.

¿Quién ha sido el mejor futbolista de la historia?

Mi padre dice que Alfredo Di Stéfano, pero yo sólo le he visto en vídeo. De mi generación no me puedo quedar sólo con uno. Estarían Pelé, Maradona, Beckenbauer, el Ronaldo que jugó en el Barcelona, Zidane, Eusebio…

¿Cuál es el jugador que más le ha sorprendido?

Son dos: Zanetti y Figo. Para mí ha sido un orgullo entrenar a futbolistas como ellos en el tramo final de sus carreras. Era espectacular su profesionalidad y su forma de trabajar. Son un ejemplo para todos.

¿Cuál ha sido hasta ahora el mejor momento de su carrera?

El momento más feliz fue la final de la Copa de la UEFA que gané en Sevilla como entrenador del Oporto. Ningún otro título me hizo tanta ilusión como ese. Fue la mayor ilusión de mi carrera.

¿La persona que más le ha marcado en su carrera?

No lo digo. Ésta prefiero no responderla.

¿A qué jugador le gustaría entrenar algún día?

Lo voy a decir porque es imposible. Me gustaría entrenar a Rooney, tanto por cómo es como futbolista como por su mentalidad. Pero mi amigo Ferguson puede estar tranquilo porque es imposible.

¿Un sueño cumplido?

Todos.

¿Un sueño incumplido?

Ganar el gran slam (Liga española, italiana e inglesa), la tercera Champions y la Copa del Mundo como seleccionador de Portugal a los 70 años.

http://movil.as.com/noticia/futbol/estrella-rooney-gustaria-entrenarle-algun/dasftb/20100528dasdaiftb_18/Tes?seccion=futbol

Comunicado do treinador do F.C. Porto – José Mourinho

Comunicado do treinador do FC Porto, José Mourinho, em resposta ao relatório feito por Paulino de Carvalho a respeito do caso da camisola rasgada de Rui Jorge, assim como às declarações de Bettencourt na altura dirigente do Sporting.

«A minha reacção às declarações do senhor Bettencourt é a confirmação óbvia do processo crime indicado no comunicado emitido pela F.C. Porto, SAD. Acredito ser esta a forma mais objectiva e explicita de demonstrar o meu repúdio.

Quero agradecer a todos aqueles que pessoal ou publicamente me manifestaram o seu apoio ou digna e coerentemente não aceitaram precocemente como verídicas as acusações de que fui alvo.

De maior gravidade é o relatório, ou antes a tardia adenda ao relatório do senhor Paulino de Carvalho.

Se o acima referido senhor tem algumas dificuldades em se expressar de forma escrita e se equivocou no ponto quatro da sua adenda, acredito ser possuidor da honradez, que lhe permita rapidamente rectificar o seu dúbio parágrafo e que originou felizes manchetes.

Se o não fizer serei obrigado a mover-lhe um processo crime e com a revolta e a frontalidade que situação tão gravosa exige, dizer-lhe publicamente: O senhor é um mentiroso – Não me viu rasgar a camisola, repito, o senhor é um mentiroso. Digo-lhe aqui e em qualquer lugar, o senhor é um mentiroso.

Para finalizar, relativamente às minhas declarações onde expresso o desejo de sair, gostaria de recuar no tempo dois anos e recordar a todos os portistas o momento difícil sob o ponto de vista desta instituição, fruto da incompetência e incapacidade de um profissional. Imperava a desmotivação, a descrença e a tristeza.

No dia em que cheguei vesti a camisola e dediquei-me com paixão a uma causa. Sob a liderança de um fantástico presidente e de uma dedicada administração, e rodeado de profissionais de altíssimo nível, construímos um F.C. Porto histórico que restituiu valores que fizeram deste clube um grande do futebol mundial.

Creio que os portistas me conhecem, me valorizam e me apoiam; sabem quem sou, o que quero e pelo que luto. Sei que estão comigo, eles sabem que estou com eles.
A todos os portistas… Até sábado!»

José Mourinho
Porto, 05 de Fevereiro de 2004

Dedicatória de José Mourinho a Pinto da Costa

Dedicatória de José Mourinho a Pinto da Costa no livro escrito pelo próprio “Special One”.

«Dedico este livro ao mais brilhante presidente da história do futebol português como forma de agradecimento aos factos de: me ter dado o privilégio de escrever neste livro; ter feito de mim treinador campeão; me dar a honra de ser seu amigo. Um grande abraço deste seu admirador e amigo com votos de mais êxitos pessoais e desportivos se possível juntos».

José Mourinho